ico Carregando...
Logo SEEL

Lançamento do selo comemorativo abre oficialmente os 50 anos do Batistão

Autor(a): Givaldo BatistaVisitas: 91
19 de junho de 2019

Twitter Facebook WhatsApp WhatsApp

Imagem de Capa

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura/ Superintendência de Esporte (Seduc), em parceria com os Correios, lançou na noite desta terça-feira (18), o selo oficial comemorativo aos 50 anos do Estádio Estadual Lourival Baptista, o Batistão. O evento aconteceu no auditório do Palácio-Museu Olímpio Campos, no Centro de Aracaju, e foi prestigiado por autoridades, dirigentes esportivos, ex-atletas, filatelistas, imprensa e desportistas em geral.

A solenidade foi presidida pelo Superintendente Regional do Correios, Israel Bispo dos Santos, que assumiu os trabalhos tão logo foi montado o dispositivo. A partir, daí as autoridades eram convocadas para a obliteração e recebiam um selo como lembrança, marcando assim a abertura das comemorações do cinquentenário da principal praça de esportes do estado de Sergipe.

Satisfeita com o evento, a Superintendente Mariana Dantas classificou o lançamento como histórico, que marca e resgata a memória da principal praça de esportes. “Estudei, pesquisei e agora eu sei como o Batistão foi e é importante para o desenvolvimento do esporte sergipano. Essa solenidade marca em grande estilo, a abertura das festividades comemorativas do cinquentenário. Uma noite fantástica e o selo é uma forma de eternizar esse momento do cinquentenário do Batistão, que é um patrimônio do povo sergipano”, disse a superintendente.

Mariana Dantas falou sobre as festividades da programação, que começou nesta terça 18 de junho, se desenrolará no segundo semestre até o dia 8 julho, com seu ápice no dia 9 de julho de 2020. “A programação será intensa no dia 9 de julho. Teremos uma alvorada festiva, com queima de fogos, seguida de Missa em Ação de Graça, na Arena Batistão. Pela manhã, ainda na Arena Batistão será realizado um torneio de futebol, envolvendo crianças de nossas escolas de esportes. Na noite do dia 9 prestaremos uma homenagem aos cronistas esportivos e a jogadores, que fizeram parte do jogo inaugural do Batistão e personalidades que fazem parte da história do Batistão”, adiantou Mariana Dantas.

O superintendente Regional dos Correios, Israel Bispo dos Santos, disse que como representante dos Correios, se sente honrado em eternizar a data. “Somos os responsáveis pela confecção do selo, que é uma homenagem e uma forma de eternizar a memória do Batistão. Participar desse evento é um motivo de orgulho e satisfação, para todos nós que fazemos os Correios”, disse Israel Bispo.

O secretário municipal de Esportes e da Juventude, Antônio Hora Filho, participou da solenidade e disse que o Batistão só lhe traz boas recordações. “É uma alegria imensa estarmos aqui no início das comemorações dos 50 anos do Batistão. Essa praça de esportes só me traz boas recordações. Como morava aqui nas proximidades, dia de jogo eu ficava aguardando se encerrar o primeiro tempo, para entrar quando os portões fossem abertos. E como árbitro de futebol, vivi grandes momentos. Aqui apitei o primeiro e último jogo da minha carreira. A maioria dos jogos profissionais que trabalhei aconteceram naquele estádio. Assim, o Batistão e o árbitro Antônio Hora têm uma relação bem umbilical”, concluiu o secretário. 

O atacante Fernando Oliveira, autor de um dos gols da Seleção Sergipana no jogo inaugural contra a Seleção Brasileira, aos 76 anos, disse que estava emocionado em participar daquela solenidade. “Realmente eu me emocionei ao receber o convite. Isso porque, quando a gente encerra a carreira ninguém se recorda do nosso passado e hoje, estou sendo lembrado. Aquele foi o meu último jogo. Depois fui ser professor de Educação Física. Mas mesmo depois de 50 anos, ainda sinto a emoção de ter jogado naquele gramado contra aquele timaço da Seleção Brasileira”, concluiu Fernando Oliveira.

Estádio Governador Lourival Baptista

O estádio Lourival Baptista foi construído, pode-se dizer, de uma fatalidade e da visão futurista do então governador Lourival Baptista. Um domingo de clássico entre Sergipe e Confiança, o antigo estádio de Aracaju estava superlotado. Aconteceu um tumulto nas arquibancadas, que provocou a queda do alambrado e por pouco não aconteceu uma tragédia.

No dia seguinte, o jornalista Leó Filho, então assessor do governador Lourival Baptista, narrou os fatos e fez ver ao governador a necessidade de a capital sergipana ter um estádio de futebol digno da pujança desse esporte. Lourival chamou o Dr. Paulo Barreto de Menezes, então presidente do DER e autorizou a construção do estádio.

O engenheiro Aurelino Teles foi o responsável pelo projeto. O estádio foi erguido em nove meses e no dia 9 de julho de 1969, a seleção Brasileira, que no ano seguinte seria tricampeã no México, com grandes craques como Pelé, Tostão, Rivelino e Jairzinho fez o jogo inaugural contra a seleção Sergipana. Estádio lotado com um público de 45.058 torcedores e renda de NC$ 214.315,00, o Brasil venceu por 8x2. Toninho Guerreiro foi o primeiro jogador a marcar um gol no Baptistão e Clodoaldo, o primeiro sergipano a marcar um gol no novo estádio.

Na sua concepção original, o Baptistão além de destacar como principal palco do futebol sergipano, era um marco na educação. O jornalista Hugo Costa compôs e Luiz Gonzaga cantou o hino do Batistão. Nele, é mencionado não apenas a função esportiva da edificação, mas também o papel educacional, visto que abaixo das arquibancadas foram construídas salas de aula, que funcionaram por alguns anos. O gramado era emoldurado por uma pista de atletismo, que formou grande atletas nesse esporte.

Selo comemorativo

O selo comemorativo é um marco no centenário do Baptistão. Tem valor facial correspondente ao primeiro porte de uma carta comercial. A partir desse lançamento, os selos poderão ser utilizados para selar correspondências de até 20 gramas, endereçadas a pessoas físicas e jurídicas, podendo também compor o porte de correspondências internacionais. Circularão em todo o território nacional por tempo indeterminado, passando a compor o acervo dos selos brasileiros.

A arte, de autoria de Leonardo Alcântara, destaca os arcos amarelos que rodeiam o estádio, uma das características mais marcantes da identidade visual da Arena. Os numerais 5 e 0 se unem à marca de maneira harmoniosa, transmitindo a ideia de luminosidade, otimismo e energia. Por fim, a composição é assinada com o slogan “Passado, Presente e Futuro”, com o objetivo de registrar a atemporalidade do estádio, que faz parte da história dos sergipanos. A técnica utilizada foi computação gráfica.